terça-feira, janeiro 11, 2011

Via Satélite

Pra variar andei lendo mais um livro escrito por um correspondente internacional. Assim como o César Tralli o que se nota é que as crônicas ficam muito melhores que as reportagens apresentadas nas Tvs. Hermano Henning, descente de alemães, vindo do interior paulista e criado dentro dentro rádio usa esse livro pra mostrar um pouco da sua vida como repórter.
O livro de Henning é mais focado na construção de sua carreira e no histórico do jornalismo, rádio, jornal e TV que ele acompanhou desde o início da década de 60.
Com várias histórias do tempo do rádio e da revista veja ele mostra o que era trabalhar com jornalismo em São Paulo dos anos da ditadura. O Joelma e Herzog são capítulos importantes do livro. Há também capítulos dedicados a Londres e Colonia e como os alemães faziam jornal usando técnicas e ferramentas de cinema para conseguir sempre uma qualidade superior. Mas o livro fica quente mesmo quando são contadas as histórias sobre o Aconcágua e a Antártica. Presente na primeira expedição brasileira a cruzar o circulo polar antártico. A viagem do Barão de Teffé em 82/83 foi uma travessia que por si já valeria um livro. Dentro de um navio velho os expedicionários brasileiros enfrentaram tudo o que é necessário para transformar uma viagem numa grande aventura. Problemas nos geradores, intrigas entre os militares, atrito com os argentinos, tempestades em alto mar e a quebra do motor que levou o navio a derivar no Mar de Weddel por 18 horas seguidas.
Talvez aí esteja o único pecado da obra. O autor esteve três vezes no continente gelado, dedicou 62 páginas, 04 crônicas, a ele. Extraiu de lá as melhores partes do livro. Deveria ter ido mais fundo e dedicado o livro todo a Antártida e as histórias dos brasileiros por lá..
Vale a pena ler o livro, se não ele todo, pelo menos as quatro crônicas finais e aquela que fala do Aconcágua.
 
Gostou do texto? Cadastre-se ali no topo à esquerda e receba posts no seu email. É grátis!

14 comentários:

  1. Olá moço. É bom quando um livro agrada, pois a gente compra e quando lê nem o acaba, não interessava. Boa leitura sempre.

    Tem saldos no resteas, passe por lá.

    beijinho da laura

    ResponderExcluir
  2. Valeu pela dica!
    Nem sempre comentando, mas SEMPRE lendo suas palavras.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Adorei o que encontrei por aqui. Se puder me faça uma visita. Um abraço!
    http://pensamentosduneto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Laurinha hoje eu passo por lá pra conferir os saldos.
    Um abraço moça.

    ResponderExcluir
  5. Fabi fico feliz com a sua visita. Beijos moça.

    ResponderExcluir
  6. Eduardo obrigado pela visita e volte sempre.

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Tenho um selo pro seu blog! Passa lá no meu pra pegá-lo e conferir as regras, ok?!

    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Flávia é mesmo um livrinho bem bacana.
    Um abraço moça.

    ResponderExcluir
  9. Geh já passei lá e em breve o selinho estará exposto aqui. Um abraço e obrigado por lembrar de nós.

    ResponderExcluir
  10. Ei L. S. será que se acha em downloads na rede?
    Parece uma boa sugestão, ate pq gosto desse jornalista.

    Bjim

    ResponderExcluir
  11. Cris pergunta difícil essa. Vou procurar e depois te digo.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  12. Gostei da sua indicação. Mais um livro que desejo ler. Como você disse, também acho que os livros publicados e escritos por jornalistas sempre ficam melhores do que as histórias que eles contaram pela televisão. Posso afirmar isso por meio dos livros que eu já li. Até agora não posso dizer que determinado jornalista se saiu melhor na TV do que no livro. Um abraço!

    ResponderExcluir
  13. Então Lu a agora que encontrar mande bala e depois volta aqui pra deixar a sua opinião.
    Um abraço moça.

    ResponderExcluir

Se você se deu ao trabalho de escrever então nós iremos responder.