terça-feira, maio 24, 2011

Noturno I

E vem a noite, harmoniosa e densa.
A lua gorda pelo céu cintila.
Vaga um silêncio nessa noite imensa;
Vago poema na minha alma brilha.

Olho absorto a lua que condensa
A noite bela. Sobre mim desfila
Um rio de estrelas. Na penumbra intensa
Espelha a musa que respira e inspira...

A natureza divinal, perfeita,
Dorme no leito colossal do mundo.
Viúva, a noite, pelo céu se deita...

A lua passa sonolenta e calma.
E no meu peito canta um vagabundo,
E a noite passa a dormitar minh’alma...

Gostou do texto? Cadastre-se ali no topo à esquerda e receba posts no seu email. É grátis!

4 comentários:

  1. Que lindo! Quem é o autor? Intenso e suave, doce.

    ResponderExcluir
  2. Roberta o autor da poesia é um amigo meu chamado Hélio Cabral.
    Um abraço moça.

    ResponderExcluir
  3. "Viúva, a noite, pelo céu se deita"

    fiquei pensando o que ele quis dizer com esse viúva.
    L. S. tu é o dono daquela foto no meu blog?? Diz, diz!! Se for me avise pra eu colocar seu link lá nos comentários....

    ResponderExcluir

Se você se deu ao trabalho de escrever então nós iremos responder.